25.4.09

Clandestino

2 comentários:

Le Inrockuptible disse...

«by heart» / «par coeur»/ «de cor»

Não deixa de ser surpreendente que, sem quase darmos por isso, usemos a forma elíptica «cor», em vez de «coração», na expressão «(saber)de cor», contrariamente às línguas inglesa e francesa, por exemplo, que parecem assim usar o "coração por inteiro": «(to learn/to know)by heart»; «(apprendre/savoir)par coeur».
Mas se o uso de «cor», em português, parece denunciar ainda um rastro da crença medieval de que os orgãos racionais residiam no coração (e «saber de cor» é, no dizer de Montaigne, «conservar aquilo que se deu a guardar à memória»), fascina-me ainda mais esta coincidência e/ou contaminação do saber, da cor e do sabor nos corações do Pedro (não ouso dizer no singular, no coração).
Apetece perguntar aos corações/ ao coração do Pedro: que idiomas falam os (seus)corações? Falam de um coração por inteiro ou dos seus desvios pela cor? E quanto às suas cores, sabê-las-á o coração «de cor»? «Cranberry Heart» pela cor, pelo sabor ou pelos inúmeros corações-missanga que constituem, talvez, um coração?

«corações ao alto», estes corações!

Com o coração na garganta,
Le Inrockuptible

Pedro_Berenguer disse...

Olá Inrockuptible.

Mais uma vez, obrigado, pelo comentário.

Quanto ao tema dos corações tem-me ocupado há cerca de um ano e tal.
A ideia é explorar o CORação nas diversas acepções semânticas e simbólicas. Dessas explorações surgem, obviamente, experimentações mais técnicas e/ou formais.

"Cranberry Heart" por tudo o que refere e mais.

Continuação de bom fim de semana.