8.4.07

A Espera

Ao se desenhar mais uma fronteira, com a manhã fria e incandescente como o sol a bater na neve, fechavam-se olhos e adormeciam-se mãos.

A tarde, lenta e morna, com o seu vagaroso compasso de horas e minutos, cheia de nadas, estender-se-ia até ao toque do telemóvel.

3 comentários:

Alexandra Alpha disse...

P, Continuas a surpreender-me.

Beijo do teu tamanho

Pedro_B disse...

:$ obrigado.

Outro... bem maior que eu ;)

Alexandra Alpha disse...

saudades! *